La casa de papel | #MulheresEmSérie

La Casa de Papel é uma série espanhola produzida pelo canal Antena 3 e disponibilizada pela Netflix. A obra narra um ousado roubo à Casa da Moeda, planejado extensivamente ao longo de anos por um misterioso homem conhecido como Professor. Ele recruta oito pessoas, especialistas em áreas distintas, para executar o assalto.

Protagonizando a série lado a lado com os assaltantes está a investigadora Raquel, responsável pelas negociações com os bandidos e por garantir um desfecho pacífico para a situação. Pressionada pela opinião pública, por seus chefes e pelo serviço de inteligência, ela tem que lidar com questões diplomáticas delicadas e pesar as prioridades da investigação enquanto tenta identificar os ladrões mascarados e solucionar o caso.

Além do trabalho já contar com uma enorme dose de pressão, soma-se a isso o fato de Raquel ser minoria em um ambiente de trabalho formado quase que exclusivamente por homens. Em uma posição de chefia, ela lidera uma equipe masculina, tendo constantemente que medir forças com colegas e reafirmar sua autoridade.

Prieto
Prieto, responsável pelo Serviço Secreto, falando com a inspetora Raquel em uma operação que ela comanda

Não bastassem as exigências comuns do trabalho, Raquel tem que lidar com o machismo e o assédio de todos os lados, tanto do campo amigo quanto do inimigo. Enquanto as vidas de dezenas de reféns dependem de seus trabalhos e da celeridade da investigação, o dia a dia da equipe policial é repleto de comentários impróprios, tanto por parte do chefe do Serviço Secreto quanto do sequestrador. Nenhum deles respeita a posição de Raquel e a sua autoridade, insistindo em retirar constantemente o foco do caso para falar sobre a sua vida pessoal. Interrompem seu trabalho para fazer insinuações ou perguntas sobre o fim de seu casamento, sobre sua vida sexual, sobre suas roupas, em um jogo de “flerte” (na verdade, assédio) incômodo e incondizente com a situação em que se encontram.

Raquel frase imprópria 1
Professor em negociação com a inspetora Raquel

A relação entre sequestrador e negociadora é distorcida e evidentemente afetada pelo fato de se tratar de uma profissional mulher, tornando-se uma espécie de brincadeira para o Professor, que escolhe tópicos de conversa e assume um tom que, muito provavelmente, não seriam os mesmos direcionados a um investigador homem.

Raquel frase imprópria 2
Parte da “negociação” entre o sequestrador e a policial

O responsável pelo Serviço Secreto, Prieto, entra em confronto constantemente com Raquel, não aceitando o fato de ter que obedecer ao comando de uma mulher. Direciona a ela atitudes desrespeitosas comumente destinadas a mulheres no ambiente profissional: insinua que os hormônios afetam o seu trabalho, expõe sua vida pessoal diante da equipe, fala de seu ex-marido para tentar desestabilizá-la. Sem falar nos constantes puxões pelo braço que dificilmente usaria com um colega homem.

la casa - puxão
A inspetora Raquel e Prieto em uma cena de La casa de papel

Além desses dois homens interferindo em seu trabalho, Raquel tem que lidar com o ex-marido agressor e com o parceiro de trabalho e amigo, Ángel, que é apaixonado por ela e cria situações desconfortáveis com a insistência em se declarar.

Enquanto quatro homens atrapalham (e quantos não existem além deles?), Raquel precisa solucionar um caso de repercussão internacional com destreza e profissionalismo. Uma profissional em meio ao fogo cruzado enfrentando ataques que vêm de todos os lados, mas que possuem um denominador comum – o machismo.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s