Dentre várias pessoas que andam pela rua e conversam, o foco mostra um rapaz e uma moça sorrindo. Ele está com o braço no ombro dela.

#52FILMSBYWOMEN: Acompanhe os filmes assistidos pelo Coletivo Arte Aberta

Em outubro de 2015, a associação Women in Film (WIF)/Los Angeles lançou a campanha #52FilmsByWomen, que partia da seguinte premissa: “você assistiria a um filme por semana dirigido por mulheres por um ano?”. Entraram oficialmente neste compromisso, até agora, mais de 11 mil pessoas, além de tantas outras pessoas e entidades que usam a hashtag para promover o cinema de diretoras mulheres. O coletivo Arte … Continue reading #52FILMSBYWOMEN: Acompanhe os filmes assistidos pelo Coletivo Arte Aberta

Rebecca está sentada em uma poltrona meio de costas, meio de lado. Ela usa uma jaqueta e segura um balão de gás hélio em formato de coração que flutua ao seu lado. Ela está séria e tem uma expressão sombria.

Crazy ex-girlfriend: a necessidade de ser “namorada”, seja ex, atual ou mesmo crazy

Crazy ex-girlfriend é um seriado sarcástico, cru e afiado, mas pode enganar à primeira vista. A obra parte da premissa de uma jovem advogada, Rebecca Bunch, que está insatisfeita com sua vida em Nova York, onde é uma profissional bem sucedida, mas sem amigos ou vida pessoal. Ao encontrar por acaso um ex-namorado da adolescência que fala com carinho e animação sobre sua cidade natal, … Continue reading Crazy ex-girlfriend: a necessidade de ser “namorada”, seja ex, atual ou mesmo crazy

A cidade onde envelheço | Crítica

Intimidade em close up no filme A cidade onde envelheço A cidade onde envelheço (2016), de Marília Rocha, é um mergulho nas possibilidades de um “cinema de intimidade”1 – intimidade como gênero cinematográfico. A história narra as escolhas de Francisca (Francisca Manuel) e Teresa (Elizabete Francisca) entre chegadas e partidas em uma cidade que não é a de origem de nenhuma dessas duas lisboetas vivendo … Continue reading A cidade onde envelheço | Crítica