Bohemian Rhapsody | Testes de representação e representatividade

Com cinco indicações ao Oscar, Bohemian Rhapsody já nasce com uma grande polêmica: o diretor que recebe os créditos no filme – Bryan Singer – foi, na verdade, demitido nos momentos finais da produção, tendo sido substituído por Dexter Fletcher. Singer foi apontado como irresponsável no trabalho, com inúmeras faltas e atrasos no set, além de vir à tona denúncias de abuso sexual contra o diretor.

As indicações aos prêmios do Oscar são: Melhor Filme (Graham King), Ator (Rami Malek), Mixagem de Som (Paul Massey, Tim Cavagin e John Casali), Edição de Som (John Warhurst e Nina Hartstone) e Edição (John Ottman). Rami Malek, ator norte-americano de origem egípcia, ganhou o Globo de Ouro por seu papel no filme. Ele, de fato, é o destaque de Bohemian e a obra foi um salto em sua carreira.

Sinopse geral do filme

De acordo com a percepção do Arte Aberta evitando spoilers

O longa é uma cinebiografia sobre a banda britânica de rock Queen, com o foco em seu cantor Freddie Mercury, que entra na banda em 1970. A narrativa culmina com o show Live Aid, em 1985, um concerto beneficente transmitido mundialmente. A trajetória de Freddie passa por sua paixão pela música e a certeza do papel como artista, a descoberta de sua sexualidade, a relação abusiva, os álbuns solo, a contração do vírus HIV e o início da relação com Jim Hutton, com quem passou seus últimos anos de vida. O filme é impreciso em sua linha do tempo e apresenta outros problemas, que para quem é fã da banda ficam ainda mais óbvios, mas ganha pontos com as apresentações musicais e com a atuação do protagonista.

A ótica das mulheres

Com a breve sinopse já é possível perceber que o filme é centrado nos homens – integrantes da banda, produtores etc. Há personagens mulheres, principalmente na primeira parte do filme, em especial a namorada de Freddie, Mary Austin (Lucy Boynton). A mãe e a irmã do cantor também têm algumas falas. As esposas e namoradas dos outros integrantes não têm impacto (ou mesmo fala significativa) no filme.

Representatividade feminina na ficha técnica

Direção, Roteiro, Produção, Produção executiva, Direção de fotografia, Design de produção, Figurino, Trilha sonora, Edição de som, Mixagem de som, Edição, Efeitos especiais e Maquiagem.

Nas funções técnicas analisadas, 21 pessoas foram contabilizadas nos créditos (os nomes repetidos são contabilizados mais de uma vez). Dessas, apenas quatro são mulheres, o que representa 19% de mulheres na ficha técnica principal.

Representatividade feminina no elenco principal

Créditos iniciais/finais

São nove atores/atrizes apresentados nos créditos iniciais do filme, desses apenas 1 é mulher, o que representa 11% do elenco principal do filme.

Bechdel-Wallace

As mulheres têm nome? Se falam? É sobre homem?

Reprovado. O filme passa nas duas primeiras perguntas: há mulheres (namorada, mãe e irmã de Freddie), com nomes (Mary Austin, Kashmira e Jer Bulsara) e elas conversam entre si, porém, o assunto é o próprio Freddie Mercury. A cena ocorre na casa da família Bulsara, no aniversário de Farrokh Bulsara (aka Freddie Mercury).

Mako-Mori

Tem mulher? Tem arco dramático? É apoiado no arco do homem?

Reprovado. Mesmo a personagem de Mary Austin tendo um tempo considerável de tela e um papel na narrativa importante, a história dela se apoia fortemente no arco dramático do personagem principal. Do momento que a conhecemos, durante o namoro com Freddie e na amizade que se sucede, ela sempre está lá para ele. Para ajudá-lo a se descobrir, para tirá-lo de momentos de mais profundo desespero e para torcer por ele. De fato, não sabemos a sua história e as suas questões.

Tauriel

Tem mulher? Ela só está na trama para ser par romântico/possui competência em algo?

Reprovado. Assim como descrito na resposta anterior, Mary está lá para ser o contraponto de Freddie. As outras esposas e namoradas dos integrantes da banda são ainda mais insignificantes na narrativa audiovisual.

Barnett

Tanto homens quanto mulheres falam entre si só sobre o sexo oposto? Os personagens masculinos têm comportamento atrelado à violência que trate como humor/falta de seriedade/normal/aceitável/como se alguém merecesse a violência?

Reprovado. Os homens, na verdade, falam basicamente de música. As mulheres falam dos ou com os homens, quando falam! Em relação ao comportamento atrelado à violência, consideramos uma cena em especial que ironiza este comportamento –  após uma conversa frustrada sobre lançar Bohemian Rhapsody como single do novo álbum e um produtor musical vetar a proposta, os integrantes da banda jogam uma pedra pela janela e saem falando palavrões e rindo, como se o ato realizado fosse apenas uma brincadeira.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s