Festival Varilux de Cinema Francês, de 7 a 21 de Junho

AS DIRETORAS NO FESTIVAL DE CINEMA FRANCÊS

O Festival Varilux de Cinema Francês traz, na edição de 2017, 18 longas-metragens inéditos para 55 cidades brasileiras. A programação ocorre de 7 a 21 de junho e conta com um documentário e 17 filmes de ficção. Além dos filmes inéditos, o festival exibirá o clássico Duas garotas românticas, de Agnès Varda e Jacques Demy. O musical, que foi indicado ao Oscar de melhor trilha … Continue reading AS DIRETORAS NO FESTIVAL DE CINEMA FRANCÊS

Primavera das Neves e sua mãe.

DIRETORAS MULHERES EM COMPETIÇÃO NO É TUDO VERDADE

Começa hoje, dia 20 de abril, no Rio de Janeiro, o 22º Festival Internacional de Documentários É tudo verdade 2017. O festival acontece no Rio (20 a 30 de abril) e em São Paulo (21 a 30 de abril), e ainda conta com itinerância em duas cidades, Brasília (de 4 a 7 de maio) e Porto Alegre (de 3 a 7 de maio), onde serão … Continue reading DIRETORAS MULHERES EM COMPETIÇÃO NO É TUDO VERDADE

Guida | Crítica

Guida, Rosana e o sonho Guida é um curta-metragem de 2014 dirigido por Rosana Urbes e feito totalmente no papel. O filme é uma homenagem à velhice, é sobre se sentir bem com você mesmo, demonstrando que não existe limite de idade para mudar e buscar a felicidade. Rosana é ilustradora de livros e animadora. Trabalhou em projetos internacionais durante anos, tendo sido, por exemplo, … Continue reading Guida | Crítica

Encontros e desencontros (Lost in Translation) | Crítica

Perdidos na tradução: interculturalidade no filme Encontros e desencontros  Sofia Coppola dirigiu cinco longas-metragens, um especial de natal e um curta-metragem, além do envolvimento em outras produções e funções audiovisuais. Hoje, está finalizando mais um filme, The Beguiled, a ser lançado este ano. O filme, remake de 1971 é uma adaptação de “A Painted Devil”, um romance gótico de Thomas P. Cullian. Lost in Translation … Continue reading Encontros e desencontros (Lost in Translation) | Crítica

Imagem do filme "Clandestinas"

Entre Risos e Lágrimas (Obvious Child) + Clandestinas | Crítica

Ficção e realidade? O aborto na comédia romântica e no documentário É interessante questionar até que ponto aquele comentário da “ficção imitando a realidade” é válido. Principalmente quando se tem o debate filosófico do que é a realidade e também de que, nem sempre, o documentário pode ser equivalente a um recorte de realidade. Mas bem, o propósito do texto não é questionar a relação … Continue reading Entre Risos e Lágrimas (Obvious Child) + Clandestinas | Crítica

Fábula de vó Ita | Crítica

A princesa Gisa e a representação da menina negra no audiovisual Quantas princesas negras você conhece? Quantas protagonistas? Quantas personagens interessantes, densas e fortes? Esse questionamento sobre a falta de representatividade de mulheres negras na mídia é o ponto de partida do curta-metragem Fábula de vó Ita, de Joyce Prado e Thallita Oshiro. O filme, direcionado ao público infantil (mas que também encanta e gera … Continue reading Fábula de vó Ita | Crítica

CINEMA DE MULHERES EM 2015 NO BRASIL

De acordo com relatório do Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual – OCA, 446 longas-metragens foram lançados em salas de cinema, no período de 01 de janeiro de 2015 a 06 de janeiro de 2016, sendo 133 nacionais. Dentre esses, apenas 27 apresentam mulheres na direção, ou seja, 20,3% dos filmes nacionais. Loucas para casar, de Júlia Rezende, teve a 10ª maior bilheteria da … Continue reading CINEMA DE MULHERES EM 2015 NO BRASIL

DEBATE NO FESTIVAL CURTA BRASÍLIA: “CINEMA EM GÊNERO, NÚMERO E GRAU”

No último sábado, dia 17 de dezembro, a 5ª edição do Curta Brasília – Festival Internacional de Curta-Metragem promoveu, no salão do Cine Brasília, o debate “Cinema em gênero, número e grau”. Com Ana Arruda na mediação, a roda de conversa contou com Maeve Jinkings, Anna Muylaert, Vera Egito e Yasmin Thayná. As falas foram conectadas e complementares, avançando a narrativa numa cadência de desvelamento do … Continue reading DEBATE NO FESTIVAL CURTA BRASÍLIA: “CINEMA EM GÊNERO, NÚMERO E GRAU”

AFROFLIX: PLATAFORMA PARA VISIBILIDADE

A busca por reconhecimento e visibilidade dos profissionais negros no audiovisual vem resultando na criação de novos espaços para divulgação de seus trabalhos, como a brasileira Afroflix e a internacional Afrostream. A Afroflix é uma plataforma parecida com a Netflix, com a diferença de que exibe apenas obras que tenham pelo menos um profissional negro ocupando cargos técnicos ou artísticos. Até agora todas as produções … Continue reading AFROFLIX: PLATAFORMA PARA VISIBILIDADE