AFROFLIX: PLATAFORMA PARA VISIBILIDADE

A busca por reconhecimento e visibilidade dos profissionais negros no audiovisual vem resultando na criação de novos espaços para divulgação de seus trabalhos, como a brasileira Afroflix e a internacional Afrostream.

A Afroflix é uma plataforma parecida com a Netflix, com a diferença de que exibe apenas obras que tenham pelo menos um profissional negro ocupando cargos técnicos ou artísticos. Até agora todas as produções são brasileiras.

A plataforma é colaborativa e o público, além de assistir aos filmes disponíveis, pode inscrever seus projetos audiovisuais ou indicar obras que gostariam que fossem incluídas no catálogo. Tudo isso gratuitamente. O conteúdo é bastante diverso e inclui documentários, filmes de ficção, séries, vlogs, videoclipes, dentre outros formatos.

O site disponibiliza atualmente 32 documentários, 12 deles dirigidos apenas por mulheres, 1 co-direção de uma diretora com um diretor e 1 filme dirigido por uma instituição. Dos 15 filmes de ficção, 13 são dirigidos por homens, 1 é uma co-direção de diretor com uma diretora e apenas 1 é dirigido exclusivamente por uma mulher, ninguém menos que Adélia Sampaio, a primeira negra a dirigir um longa-metragem, Amor Maldito, de 1984.

A categoria de filmes experimentais não inclui nenhuma diretora e as categorias “Programa”, “Série”, “Vídeoclipe” e “Vlog” não foram analisadas para esse levantamento.

Para ajudar a compor sua lista de filmes a assistir, apontamos 15 obras dirigidas por mulheres disponíveis na Afroflix.

DOCUMENTÁRIOS

      • Tear (2014)

Sinopse: Tear conta a história do movimento operário brasileiro durante a Ditadura Militar na década de 60. Perseguição, prisão e tortura eram práticas aplicadas também contra a classe trabalhadora, mas infelizmente o seu drama foi esquecido pela filmografia brasileira dedicada a esse tema. O documentário “Tear” insere o pacato distrito de Santo Aleixo, cidade de Magé, Baixada Fluminense, RJ, no agitado contexto da ditadura civil militar. Uma trama com greves, prisões e torturas, relacionadas ao golpe de 64 e ao movimento trabalhista atuante na época, reconstruída através de um mergulho íntimo e sentimental nas memórias de operários da indústria têxtil e moradores do local.

Direção: Tai Linhares

Duração: 6 minutos

Estado: Rio de Janeiro (RJ)

      • Do alto da ladeira (2014)

Sinopse: Casarões antigos, moradores de longas datas, especulação imobiliária. Qual a real identidade que está por trás de tantas vendas e demolições de casas no centro histórico de Salvador? Do Alto da Ladeira faz um breve passeio afim de descobrir algumas respostas que cercam essas questões.

Direção: Camila Mota

Duração: 6 minutos

Estado: Bahia (BA)

      • Rio da fé (2015)

Sinopse: Documentário sobre a Festa do Divino Espírito Santo, que acontece nas comunidades à margem do Rio Guaporé nos limites territoriais do Brasil e da Bolívia. O documentário, realizado em 2015, foi filmado na cidade de Pimenteiras do Oeste, Rondônia, e acompanha os sete dias de duração daquela que é considerada uma das maiores festas religiosas de Rondônia.

Direção: Andréia Machado

Duração: 22 minutos

Estado: Rondônia (RO)

      • Qual a cor da minha pele? (2011)

Sinopse: Uma mulher tenta compreender, com a ajuda de entrevistados, porque a sua certidão de nascimento a identifica como parda e não como negra.

Direção: Maria Gal

Duração: 7 minutos

Estado: Minas Gerais (MG)

      • Maria (2014)

Sinopse: Maria, uma jovem moradora de favela, é presa ao ser confundida com Teresa Caça-Níquel, suspeita de envolvimento com jogos de azar. Maria foi torturada, agredida, violentada e a maior autoridade do país apenas discursa sobre a prática de tortura.

Direção: Erica Sansil

Duração: 1 minuto

Estado: Rio de Janeiro (RJ)

      • Mães do hip hop (2009)

Sinopse: Primeiro filme sobre hip hop em que os protagonistas não são os MCs, mas sim suas mães. Através delas podemos compreender como é a vida cotidiana dos jovens nas terras baixas.

Direção: Dudu de Morro Agudo e Janaina Oliveira (Re.Fem.)

Duração: 26 minutos

Estado: Rio de Janeiro (RJ)

      • Mulheres de pedra (2014)

Sinopse: “Mulheres de Pedra” é um coletivo colaborativo, aberto, independente, formado por uma rede de mulheres. Ele funciona desde 2001 em Pedra de Guaratiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Direção: Fernanda Almeida

Duração: 6 minutos

Estado: Rio de Janeiro (RJ)

      • Caridade, humildade e amor (2015)

Sinopse: Como primeiro conjunto habitacional da América Latina, Vila Aliança contou com a participação de diferentes esferas religiosas para sua formação. Tendo como premissa a comunhão, o curta “Caridade, Humildade e Amor” narra histórias de quem ergue e mantém a fé no dia-a-dia.

Direção: Tamires Santos

Duração: 6 minutos

Estado: Rio de Janeiro (RJ)

      • A B Ser (2010)

Sinopse: Num centro comunitário em Macaé, no interior do Rio de Janeiro, um grupo de idosos compartilha o prazer das descobertas da alfabetização. São oito alunos, com idades entre 50 e 77 anos, e uma similitude: a vontade de ler, escrever e ver a vida por uma nova ótica. A B Ser conta a história de Maria, poetisa, que já não precisa mais guardar na memória as poesias que cria. Apresenta Gilda, que deseja aprender a ler para voltar a sua terra natal e desvendar seu passado. E mais seis personagens, com histórias de exclusão e um futuro de sonhos.

Direção: Mariana Luiza

Duração: 52 minutos

Estado: Rio de Janeiro (RJ)

      • A inteligência é fundamental (2007)

Sinopse: Documentário sobre a dificuldade em obter água para consumo no bairro Cidade Alta, Zona Leste de Manaus. Bairro nas proximidades do maior rio do mundo em volume e extensão: Rio Amazonas.

Direção: Michelle Andrews

Duração: 3 minutos

Estado: Amazonas (AM)

      • Nas minhas mãos não quero pregos (2013)

Sinopse: Maurino de Araújo mora no bairro Primeiro de Maio (Belo Horizonte) há mais de 30 anos. Escultor reconhecido internacionalmente, tem uma vasta produção de obras em madeira, vive numa casa modesta e dança pelas ruas com seu guarda-chuva em dias de sol.

Direção: Cris Ventura

Duração: 70 minutos

Estado: Minas Gerais (MG)

      • Batalhas (2016)

Sinopse: Em maio de 2015, o Teatro Municipal do Rio de Janeiro recebeu, pela primeira vez em toda a sua história, o espetáculo “Na Batalha”, que narra a história do funk através de uma dança contemporânea nascida nas favelas cariocas, o passinho. Naquele dia o Rio experimentou uma manhã mais democrática.

Direção: Yasmin Thayná

Duração: 25 minutos

Estado: Rio de Janeiro (RJ)

Cena de Batalhas, de Yasmin Thayná
Cena de “Batalhas”, de Yasmin Thayná

FICÇÃO

      • Esconde-esconde (2016)

Sinopse: Curta brasileiro realizado por Quadro Negro TV e Lubo Produções Artísticas na cidade do Rio de Janeiro. No Brasil, 56 mil pessoas são assassinadas por ano. 30 mil são jovens. Destes, 77% são negros. Baseando- se nessa estatística, este filme propõe uma reflexão sobre o extermínio do jovem negro.

Direção: Luciana Bollina e Luiz Felipe Mendes (Don)

Duração: 5 minutos

Estado: Não é informado

      • Amanhecer (2010)

Sinopse: Guilherme enfrenta uma luta contra si próprio até conseguir contar para seu pai que é gay.

Direção: Mariana Campos

Duração: 15 minutos

Estado: Rio de Janeiro (RJ)

      • Amor maldito (1984)

Sinopse: Primeiro filme lésbico nacional, “Amor Maldito” trata da relação entre Fernanda (Monique Lafond) e Sueli (Wilma Dias), que acaba por suicidar-se. Considerada culpada, Fernanda é levada aos tribunais e massacrada pelos valores machistas e moralistas da sociedade.

Direção: Adélia Ferreira Sampaio

Duração: 1 hora e 15 minutos

Estado: Rio de Janeiro (RJ)

amor-maldito
Cartaz do filme “Amor Maldito”, de Adélia Sampaio

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s