Dentre várias pessoas que andam pela rua e conversam, o foco mostra um rapaz e uma moça sorrindo. Ele está com o braço no ombro dela.

#52FILMSBYWOMEN: Acompanhe os filmes assistidos pelo Coletivo Arte Aberta

Em outubro de 2015, a associação Women in Film (WIF)/Los Angeles lançou a campanha #52FilmsByWomen, que partia da seguinte premissa: “você assistiria a um filme por semana dirigido por mulheres por um ano?”. Entraram oficialmente neste compromisso, até agora, mais de 11 mil pessoas, além de tantas outras pessoas e entidades que usam a hashtag para promover o cinema de diretoras mulheres. O coletivo Arte … Continue reading #52FILMSBYWOMEN: Acompanhe os filmes assistidos pelo Coletivo Arte Aberta

Rebecca está sentada em uma poltrona meio de costas, meio de lado. Ela usa uma jaqueta e segura um balão de gás hélio em formato de coração que flutua ao seu lado. Ela está séria e tem uma expressão sombria.

Crazy ex-girlfriend: a necessidade de ser “namorada”, seja ex, atual ou mesmo crazy

Crazy ex-girlfriend é um seriado sarcástico, cru e afiado, mas pode enganar à primeira vista. A obra parte da premissa de uma jovem advogada, Rebecca Bunch, que está insatisfeita com sua vida em Nova York, onde é uma profissional bem sucedida, mas sem amigos ou vida pessoal. Ao encontrar por acaso um ex-namorado da adolescência que fala com carinho e animação sobre sua cidade natal, … Continue reading Crazy ex-girlfriend: a necessidade de ser “namorada”, seja ex, atual ou mesmo crazy

A cidade onde envelheço | Crítica

Intimidade em close up no filme A cidade onde envelheço A cidade onde envelheço (2016), de Marília Rocha, é um mergulho nas possibilidades de um “cinema de intimidade”1 – intimidade como gênero cinematográfico. A história narra as escolhas de Francisca (Francisca Manuel) e Teresa (Elizabete Francisca) entre chegadas e partidas em uma cidade que não é a de origem de nenhuma dessas duas lisboetas vivendo … Continue reading A cidade onde envelheço | Crítica

Cesar, Olivia, Monse e Ruby estão na arquibancada de um campo de esportes acompanhando um jogo. Os rapazes parecem surpresos, as garotas comemoram. A torcida atrás também acompanha o jogo.

Amigas e (não) rivais: parceria entre mulheres ao invés de competição | On my block | #MulheresEmSérie

On my block é um seriado original da Netflix e conta a história de um grupo de quatro amigos que mora em um bairro perigoso de Los Angeles e está prestes a começar a High School (Ensino Médio). Ruby, Cesar, Monse e Jamal são amigos desde criança e são muito próximos, o que dificulta alterar a dinâmica do grupo quando chega a adolescência e novas … Continue reading Amigas e (não) rivais: parceria entre mulheres ao invés de competição | On my block | #MulheresEmSérie

4 animes com protagonistas meninas para assistir na temporada de inverno de 2018 | #Listas

A produção de animações seriadas no Japão é dividida em temporadas que coincidem com as estações do ano: inverno, primavera, verão e outono. A cada temporada, dezenas de animes são lançados. Há produções de todos os tipos e para todos os gostos: aventuras, romances, fantasia, ficções científicas, entre outros estilos. Para mim, o gênero nunca foi muito importante, basta me envolver com os personagens e … Continue reading 4 animes com protagonistas meninas para assistir na temporada de inverno de 2018 | #Listas

Carta para Moana | #CartasParaElas

Moana, Tenho sentido uns medos incontroláveis, irracionais, como os medos são. Na semana passada, pegando um voo de volta para casa, fechei os meus olhos e, para me acalmar, visualizei você, uma menina, no topo da montanha, fazendo o mar se partir em dois, encarando Te Ka com coragem e bondade, conseguindo encontrar no monstro de pedras e lavas a deusa da vida e da … Continue reading Carta para Moana | #CartasParaElas

Everything Sucks!| Uma imersão na descoberta de identidade nos anos 90| #MulheresEmSérie

Everything Sucks! (livremente traduzido por “Tudo é uma merda”) é uma série da Netflix, lançada em fevereiro de 2018, criada por Michael Mohan e Ben York Jones, que também aparece como o personagem Mr. Stargrove, funcionário da escola. A premissa da série é bastante batida: high school (ensino médio americano) em uma pequena cidade chamada Boring (tradução em português – “chata”), em Oregon. Todavia, ela … Continue reading Everything Sucks!| Uma imersão na descoberta de identidade nos anos 90| #MulheresEmSérie

Rainy Day: como reagir à ansiedade? | #ArteAbertaGamer

Há algum tempo que eu tinha ouvido falar do pequeno jogo Rainy Day, desenvolvido pela Thais Weiller. Estava, inclusive, na lista – sempre crescente – de “jogar depois”. E só agora consegui jogá-lo. O jogo é pequeno, curto, com uma arte linda da Amora B. Os tons de cinza e as constantes perguntas do que fazer, porém, são perturbadoras. Rainy Day me fez perceber algumas … Continue reading Rainy Day: como reagir à ansiedade? | #ArteAbertaGamer

Os primeiros filmes de cineastas brasileiras | #EstreiaDelas

No dia internacional da mulher, o Arte Aberta lança a campanha #EstreiaDelas, que destaca diversas cineastas brasileiras que inspiram todas nós. A intenção é chamar atenção para sua carreira e trajetória, especialmente para o início de suas carreiras e seus primeiros trabalhos. Tata Amaral é uma das diretoras mais premiadas do cinema nacional recente. Seu primeiro longa-metragem, Um céu de estrelas, foi escolhido como um … Continue reading Os primeiros filmes de cineastas brasileiras | #EstreiaDelas

O caso do homem errado é o segundo longa exibido comercialmente dirigido por uma mulher negra no Brasil

Mais um filme brasileiro entra em cartaz em sala de cinema. O fato que deveria ser simples é histórico, um marco. O caso do homem errado, dirigido por Camila de Moraes e produzido por Mariani Ferreira, quebra uma lacuna de 34 anos ao colocar um filme dirigido exclusivamente por uma mulher negra no circuito comercial. Antes de Camila, Adélia Sampaio lançava, em 1984, o filme … Continue reading O caso do homem errado é o segundo longa exibido comercialmente dirigido por uma mulher negra no Brasil