Carta 02 – para Ash | Sing | #CartasParaElas

Ash, Você tinha noção do seu poder, da sua força, da sua voz? Mas não é fácil nos desvincular de relacionamentos abusivos, não é? Forte falar isso. Eu sei. Mas é importante dar nome ao que vivemos, ao que sentimos. Ash, seu relacionamento com o porco-espinho Lance não era bom para você. Não vale a pena ficar com alguém que te quer só para reforçar … Continue reading Carta 02 – para Ash | Sing | #CartasParaElas

Carta para Rosa | #CartasParaElas

Rosa, Você caminha pelas relações, numa busca pelo que é seu. Por isso, não há um aprofundamento especificamente em nenhuma delas. Passamos. O que importa é você. Estão lá os homens que te orbitam. Pai, pai biológico, irmão, marido e amante. Cada um, parece trazer mais vazios do que preenchimentos. “Não brinquem com os fantasmas – fantoches – do meu pai”, você fala para as … Continue reading Carta para Rosa | #CartasParaElas

Carros 3 | Crítica

Cruz Ramirez e a Síndrome da Impostora O terceiro filme da franquia Carros, da Disney e Pixar, passa raspando no teste de Bechdel (o que os outros dois primeiros não chegam nem perto). Além da já conhecida Sally, que perde um pouco de presença nesta sequência, conhecemos Cruz Ramirez, a “treinadora” de um centro de alta tecnologia para carros corredores; Maria Busão, uma ônibus escolar … Continue reading Carros 3 | Crítica

Embrace | Crítica

Abrace como você é Embrace: abraçar, aceitar, compreender, adotar. Mas como aceitar – e amar – um corpo que não é representado nas imagens que nos cercam? Como abraçar a nossa auto-imagem, quando as revistas, os filmes, os comerciais mostram figuras de mulheres tão diferentes? Diferentes, inclusive, delas mesmas, já que são imagens irreais, retocadas, modificadas, plastificadas. O documentário Embrace, escrito e dirigido pela australiana … Continue reading Embrace | Crítica

Prêmio Cabíria de roteiro com protagonistas mulheres está com inscrições abertas

Cabíria é um prêmio que seleciona roteiros de filmes de ficção de longa-metragem, escritos por homens ou por mulheres, que tenham pelo menos uma protagonista feminina. O objetivo é contribuir para que essas histórias sejam produzidas e, assim, diminuir a desigualdade de gênero no cinema brasileiro – na frente e atrás das câmeras. O período de inscrições para a seleção encerra-se no dia 25  de … Continue reading Prêmio Cabíria de roteiro com protagonistas mulheres está com inscrições abertas

Referências para o cinema de mulheres no Brasil

No Brasil, aumentam as iniciativas, coletivos e portais de promoção, apoio e pesquisa sobre a relação entre cinema e gênero, em especial, sobre a representação e a atuação das mulheres no audiovisual. Nós do Arte Aberta acreditamos que o mapeamento e a divulgação desses projetos possam ajudar pesquisadores e interessados a terem mais informações e, assim, fortalecer essa rede do cinema de mulheres no Brasil. … Continue reading Referências para o cinema de mulheres no Brasil

Encontros e desencontros (Lost in Translation) | Crítica

Perdidos na tradução: interculturalidade no filme Encontros e desencontros  Sofia Coppola dirigiu cinco longas-metragens, um especial de natal e um curta-metragem, além do envolvimento em outras produções e funções audiovisuais. Hoje, está finalizando mais um filme, The Beguiled, a ser lançado este ano. O filme, remake de 1971 é uma adaptação de “A Painted Devil”, um romance gótico de Thomas P. Cullian. Lost in Translation … Continue reading Encontros e desencontros (Lost in Translation) | Crítica

Mulheres inspiradoras Think Olga: audiovisual

O Think Olga é um projeto feminista de desenvolvimento e difusão de conteúdos criado em 2013 pela jornalista Juliana de Faria e tem como missão “empoderar mulheres por meio da informação e retratar as ações delas em locais onde a voz dominante não acredita existir nenhuma mulher”. Assim, a informação é usada como força empoderadora e a partir dela acredita-se que se dê as ferramentas necessárias … Continue reading Mulheres inspiradoras Think Olga: audiovisual

Debate no Festival Curta Brasília: Cinema em gênero, número e grau

No último sábado, dia 17 de dezembro, a 5ª edição do Curta Brasília – Festival Internacional de Curta-Metragem promoveu, no salão do Cine Brasília, o debate “Cinema em gênero, número e grau”. Com Ana Arruda na mediação, a roda de conversa contou com Maeve Jinkings, Anna Muylaert, Vera Egito e Yasmin Thayná. As falas foram conectadas e complementares, avançando a narrativa numa cadência de desvelamento do … Continue reading Debate no Festival Curta Brasília: Cinema em gênero, número e grau

Precisamos falar do assédio | Crítica

Precisamos falar do assédio expõe as diversas formas de violência contra a mulher Pai, padrasto, marido, primo, namorado, pastor, pai de santo, médico, professor, amigo, amigo-da-galera, desconhecido. Na infância, adolescência ou na vida adulta. Não há regra. O que há são mulheres violentadas – moral e/ou fisicamente. Traumas quase insuperáveis. Ensinamentos de que o calar era mais importante do que o falar. Foi assim mesmo? … Continue reading Precisamos falar do assédio | Crítica