Carta para Liniker | Intimidade | #CartasParaElas

Querida Liniker, Temos passado por tempos estranhos, para dizer o mínimo. Muitas vezes, me pergunto: onde estava escondido tanto ódio para emergir assim de tantos lugares e chegar ao topo do nosso governo? Tanta loucura, tanta estupidez. E imagino também que na sua história nem tudo foram flores. Mas hoje a sua força – que explode no amor e na delicadeza – me faz ter … Continue reading Carta para Liniker | Intimidade | #CartasParaElas

Carta para Joy | Wanderlust – Navegar é preciso | #CartasParaElas

Joy, Wanderlust  é uma palavra alemã, dessas que só têm significado na língua de origem, como a nossa “saudade”. Aquela primeira é uma junção de duas outras: wander – maravilhar-se, vagabundear, aventurar-se – e lust – luxúria, desejo. Juntas, porém, nasce um significado novo: um desejo intenso de viajar pelo mundo, um desejo maior que qualquer outro, uma sede por conhecer novos lugares. E quando … Continue reading Carta para Joy | Wanderlust – Navegar é preciso | #CartasParaElas

Carta para Glorinha | Separações, de Domingos Oliveira | #CartasParaElas

Glorinha, Depois de tantos pedidos de folga de Cabral, é você quem se encanta pela liberdade, pelo sonho de poder fazer as coisas de que realmente gosta e, enfim, conseguir entender-se profissionalmente sem trabalhar apenas com o marido. É você, Glorinha, que vive mais uma paixão intensa ao ponto de ter seu coração partido ao ter que aprender a se despedir de um amor para … Continue reading Carta para Glorinha | Separações, de Domingos Oliveira | #CartasParaElas

A cidade onde envelheço | Crítica

Intimidade em close up no filme A cidade onde envelheço A cidade onde envelheço (2016), de Marília Rocha, é um mergulho nas possibilidades de um “cinema de intimidade”1 – intimidade como gênero cinematográfico. A história narra as escolhas de Francisca (Francisca Manuel) e Teresa (Elizabete Francisca) entre chegadas e partidas em uma cidade que não é a de origem de nenhuma dessas duas lisboetas vivendo … Continue reading A cidade onde envelheço | Crítica

Carta para Rosa | Como nossos pais | #CartasParaElas

Rosa, Você caminha pelas relações, numa busca pelo que é seu. Por isso, não há um aprofundamento especificamente em nenhuma delas. Passamos. O que importa é você. Estão lá os homens que te orbitam. Pai, pai biológico, irmão, marido e amante. Cada um, parece trazer mais vazios do que preenchimentos. “Entre aquela tribo de homens amontoados na psique da mulher, cujos membros são chamados pelos … Continue reading Carta para Rosa | Como nossos pais | #CartasParaElas